Mulher sofre com dores durante três anos devido ao trabalho mal feito de um dentista, fica traumatizada e só consegue curar as dores e o trauma após o trabalho da Dra. Valeska!

Raio X Panorâmico da paciente mostra pino de tamanho desproporcional usado no implante do dente.

A psicóloga Maria de Lourdes de Souza, de 62 anos, se trata desde a adolescência no mesmo dentista, um amigo de família que também cuidou de seus pais, filhos, irmãos e tias. Sempre com bons resultados.  Ela mesma sempre foi extremamente cuidadosa com seus dentes, o que inclui visitas semestrais ao profissional e um cuidadoso trabalho diário de higiene em seus dentes que, por isso mesmo, e apesar da idade, sempre estiveram em ótimo estado de conservação. Até então, nunca precisou de tratamento dentário sob sedação, uma especialidade da Clínica Fast Odonto.

Em 2016, pela primeira vez em sua vida, Maria de Lourdes começou a ter problemas sérios com um de seus dentes superiores, que doía diariamente e apresentava inchaço na gengiva. A solução apresentada pelo dentista foi a extração daquele dente, já bem danificado, e colocação de um implante – para resolver em definitivo as dores e manter o bom padrão estético dos seus dentes. E assim foi feito.

PACIENTE GANHOU UM INCÔMODO PERMANENTE NA BOCA

Visualmente, o trabalho realizado pelo dentista da família teve bom resultado, mas, desde que o pino do implante foi colocado em sua boca, Maria de Lourdes passou a sentir um incômodo em sua boca. “Não chegava a ser uma dor, mas era um incômodo presente diariamente na minha vida”, afirma a psicóloga. Ela chegou a reclamar com o dentista mais de uma vez, que verificou o local do implante e não encontrou nenhum problema.

Na mesma época, esse dentista também colocou outros dois implantes em Maria de Lourdes, na parte inferior da boca. E foi, na verdade, por causa desse trabalho, que ela descobriu o trabalho da Cirurgiã-Dentista Dra. Valeska Roverso Correa. Estes dois implantes apresentaram muitos problemas, incluindo uma infecção severa, com a gengiva inchada e muito dolorida. As dores eram muito fortes, mas Maria da Lourdes havia ficado traumatizada com o implante superior e passou a ser medo de ir ao dentista. O tempo foi passando e seus dentes, piorando.

TEXTO DESTE BLOG MOTIVOU MARIA DE LOURDES A RETOMAR O TRATAMENTO

Finalmente, em maio deste ano, por indicação de uma amiga, ela leu alguns artigos do blog “Fim do Pânico de Dentista”, desenvolvido pela Clínica Fast Odonto, da Dra. Valeska. Ao conhecer casos reais de pessoas que tinham pânico de dentista e que, mesmo assim, se submeteram ao inovador tratamento odontológico sob sedação da Dra. Valeska, ela resolveu tentar de novo. “Não posso perder essa chance”, afirmou a psicóloga ao ler o artigo do blog.

“Ela chegou ao consultório odontológico muito desconfiada, insegura, com fortes dores, mas com muita esperança que eu conseguisse, enfim, resolver o problema dela nos dois implantes inferiores”, explica a Dra. Valeska. Para entender a causa do problema e tratar os dentes da melhor forma possível, foi realizado no próprio consultório um Raio X Panorâmico da boca de Maria de Lourdes. Enquanto analisava os dentes inferiores, a Dra. Valeska não pode deixar de observar um pino imenso, muito além do tamanho normal, que foi utilizado naquele implante superior, em 2016, que até hoje ainda incomodava diariamente a psicóloga.

“Era muito desproporcional e provavelmente seria a causa do incômodo que paciente sofria há três anos”, diz a Dra. Valeska. “Este pino rompeu a cortical do seio maxilar da paciente. Tinha 8 mm dele enfiado dentro do seio maxilar dela!!!!”, explica a Dra. Valeska. Em comum acordo entre dentista e paciente, o implante superior foi retirado para eliminação daquele pino.

TRATAMENTO FOI REALIZADO SOB SEDAÇÃO

“Desde aquele dia, em maio, o incômodo da minha boca desapareceu”, confessa Maria de Lourdes. Por enquanto, ela está com um dente provisório no local, aguardando a cicatrização do local para finalização do trabalho. Mas não sente mais incômodos ou dores ali. No mesmo dia, a Dra. Valeska também tratou os dois implantes inferiores, o motivo pelo qual Maria de Lourdes havia procurado a Clínica Fast Odonto. Ali também, uma dos implantes precisou ser retirado completamente, o que também acabou com as dores e permitiu que a infecção fosse contida. Também neste dente, Maria de Lourdes aguarda a cicatrização para finalização do trabalho.

Devido ao trauma adquirido em 2016, no dentista familiar, Maria de Lourdes não tinha coragem de enfrentar o estresse de um tratamento dentário e o jeito foi recorrer à especialidade da Dra. Valeska: o tratamento odontológico com sedação. “Foi maravilhoso. Eu dormi, não vi nada, não lembro de nada e fiquei livre de todas as dores”, explica a paciente. Ela ficou bastante satisfeita com todo o trabalho da Clínica Fast Odonto.

“Mesmo depois que os implantes definitivos forem colocados, já decidi que vou continuar me tratando para sempre com a Dra. Valeska. Ela é muito gentil e transmite muita segurança e confiança aos pacientes com seu trabalho”, conclui Maria de Lourdes.

Pânico de dentista: um método exclusivo para atender pacientes com odontofobia

medo de dentista
Medo de dentista: conheça como começou, em 2011, o trabalho inovador da Dra. Valeska Roverso.

Dentes saudáveis são fundamentais para um sorriso bonito e confiante. Sem este sorriso, a autoestima da pessoa é prejudicada e, muitas vezes, sua vida profissional e sentimental é bastante afetada. Este é um dos problemas que enfrentam as pessoas que sofrem de pânico de dentista. O nome disso é odontofobia. Com medo do dentista, o que inclui o pânico de agulhas e motorzinhos, essas pessoas deixam seus dentes estragarem, sofrem com dores frequentes, seus sorrisos desaparecem e sua autoestima chega ao fim do poço. Foi pensando neste público especial que, em 2011, a Dra. Valeska Roverso Correa desenvolveu um método até hoje inovador, seguro e muito eficaz de tratamento odontológico sob sedação – acessível mesmo para os pacientes mais humildes. Em um único dia, seus pacientes especiais passam por todos os tratamentos dentários necessários, sem sentir dor e sem lembrar de nada. Eles acordam com uma “boca nova”, prontos para uma nova vida.

Você se lembra como estava nossa vida em 2011?

Bom, foi um ano incrível que entrou para a história do Brasil e do mundo. No cenário internacional, 2011 ficou marcado, por exemplo, pelo fim da guerra no Afeganistão e pela morte do terrorista Osama Bin Laden. Foi também quando o mundo assistiu, pela TV, a um casamento típico dos contos de fadas, na Inglaterra, entre o príncipe William e a jovem Kate Middleton. No Brasil, foi o primeiro ano do mandato de Dilma Rousseff, primeira mulher a ocupar este cargo no País. Além disso, também neste ano foi anunciada a abertura da Copa do Mundo do Brasil para o dia 12 de junho de 2014, em São Paulo (SP). Personalidades inesquecíveis faleceram neste ano, como a atriz Elizabeth Taylor; a cantora Amy Winehouse; o fundador da Apple, Steve Jobs; o ex-jogador da seleção brasileira de futebol, Sócrates; e o carnavalesco Joãozinho Trinta.

O primeiro paciente atendido sob sedação pela Dra. Valeska

Foi em meio a este cenário que o paulistano Alexandre Rodrigues, de 40 anos, enfrentou uma crise fortíssima de Síndrome do Pânico, um transtorno de ansiedade no qual a pessoa sofre crises de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo para isso ou sinais de perigo iminente. É uma doença complicada, com várias implicações, como destruir a autoestima da pessoa e prejudicar seus relacionamentos pessoais, amorosos e profissionais. Como resultado, ele até perdeu seu emprego. Para complicar, sua doença também acentuou seu pânico de dentista, que já vinha de muitos anos. Neste momento, uma dor de dente muito forte obrigou Alexandre a fazer algo inédito: procurar um consultório odontológico para acabar com seu sofrimento. E, por indicação de um conhecido, foi procurar a Dra. Valeska.

Na época, a Dra. Valeska já atuava no mesmo consultório atual, no Jardim dos Lagos, na zona Sul da capital paulista. Já eram 16 anos naquele endereço, oferecendo todos os tratamentos odontológicos existentes – menos o tratamento sob sedação tradicional, encontrado em algumas clínicas. Até hoje, o tratamento tradicional, que utiliza óxido nitroso para sedar os pacientes, é muito caro (só a aplicação do gás custa entre R$ 2.500 e R$ 3.000, fora os tratamentos realizados). Quando Alexandre chegou ao consultório, com fortes dores e a boca inchada, ele se recusou até a sentar na cadeira de dentista. Em pé, e muito rapidamente, deixou apenas a Dra. Valeska examinar sua boca superficialmente. A profissional nada pôde fazer, além de receitar medicamentos como analgésico, antiinflamatório e antibiótico, que resolveriam aquela crise apenas por algum tempo.

“Apesar de todos os anos de estudos dentro da odontologia, me senti de mãos atadas naquele momento por não conseguir eliminar os problemas do Alexandre”, afirmou ela. Além do dente infeccionado, ele estava com vários outros dentes estragados, incluindo os dianteiros. Ele sorria com a mão na boca, de vergonha. Tudo isso contribuía ainda mais para a crise pessoal que ele vivia. E ele não tinha a menor condição financeira para arcar com o custo da sedação com óxido nitroso. “Naquele dia, eu resolvi pesquisar outra forma de atender este tipo de paciente com segurança e por um preço acessível”, disse a Cirurgiã-Dentista.

Em busca de aperfeiçoamento para criar um método exclusivo

Com este objetivo, a Dra. Valeska foi em busca de novos conhecimentos. Durante cerca de um ano, teve aulas de psicologia e psiquiatria, para entender os tipos de pânicos existentes e as opções de medicamentos utilizados para tratá-los. Ela também teve aulas da farmacologia, buscando conhecer mais profundamente estes medicamentos e descobrir outros que poderiam ser utilizados no seu trabalho. Seu desafio era montar um método seguro e eficaz para tratar pacientes com pânico de dentista que acabasse com a dor dos procedimentos (como agulhas e motorzinhos) e que acalmasse totalmente seus pacientes durante horas. Ao final de seu estudo, ela descobriu mais de 20 medicamentos que poderiam ser utilizados neste trabalho, de acordo com o perfil de cada paciente.

E, com muita resistência, ela conseguiu que Alexandre aceitasse se submeter ao seu novo tratamento para resolver de uma só vez, e sem sofrimento, todos os seus problemas odontológicos. Depois de uma entrevista detalhada para definir o perfil dele, conhecer as medicações que ele já utilizava e de alguns exames, a Dra, Valeska definiu a medicação adequada para aquele caso. No dia agendado, já na cadeira de dentista, Alexandre tomou uma medicação via oral e relaxou completamente menos de uma hora depois. A maioria dos pacientes dorme com a medicação. Mas os raros pacientes que não adormecem permitem o tratamento dentário sem pânico e sem sentir nada. Sem dores. Sem estresse. O preço dessa sedação desenvolvida com exclusividade pela Dra. Valeska: cerca de R$ 600,00. Durante seu efeito, que chega a quase três horas, ela consegue realizar todos os procedimentos odontológicos necessários. No caso de Alexandre, por exemplo, foram tratadas cáries, foram feitos canais de vários dentes, algumas extrações, foram colocados implantes e coroas estéticas e foi realizada uma raspagem gengival para remoção de tártaro e manchas, tornando seu sorriso muito mais claro – os dentes clarearam dois tons na escala de tonalidades, o que é bastante significativo. Quando ele recobrou totalmente os sentidos, estava relaxado e não se lembrava de nada.

Tratamento recuperou autoestima de Alexandre

No dia seguinte, com a boca completamente “nova”, voltou ao consultório emocionado, somente para agradecer ao trabalho desenvolvido pela Dra. Valeska. Com o tratamento, ele recuperou sua autoestima, seu emocional foi equilibrado e até arrumou um emprego novo. Hoje, ele está curado e vive uma vida normal.